Santa Casa garante o atendimento de COVID-19 em Campo Grande auxiliada por doações

Compatilhe

O enfermeiro Matheus Dullius de Lima diz que os materiais doados ajudaram a salvar vidas (crédito: ASCOM Santa Casa de Campo Grande)

O enfermeiro Matheus Dullius de Lima diz que os materiais doados ajudaram a salvar vidas (crédito: ASCOM Santa Casa de Campo Grande)

Santa Casa garante o atendimento de COVID-19 em Campo Grande auxiliada por doações

Compatilhe

Maior hospital em número de leitos SUS do Centro-Oeste do país, a Santa Casa de Campo Grande iniciou o período da pandemia como retaguarda, ou seja, habilitada a receber os pacientes de todas as outras doenças, exceto COVID-19. Passados cinco meses, o hospital foi convocado a reforçar o enfrentamento direto ao coronavírus e transformou um anexo, de traumas ortopédicos, em enfermaria e UTI exclusivas para COVID-19.

Um dos pacientes dessa ala foi José Antonio de Oliveira, 51, português radicado em Campo Grande há 7 anos e profissional de relações públicas. Com febre, falta de ar e uma tosse incessante, ele conta que chegou muito mal à Santa Casa. "Quase precisei ser intubado", lembra.

José Antonio de Oliveira, 51, relações públicas, tem muita gratidão pelos profissionais que cuidaram dele

José Antonio acredita ter contraído o vírus em uma ida ao supermercado, um dos raros locais que frequentava na quarentena. Dos 12 dias internado na Santa Casa, ele guarda as melhores e as piores recordações. "A primeira semana foi a que passei mais mal, cheguei a temer pela vida. Fazia exames e era medicado com antibióticos e corticoides o tempo todo", conta.

"E a gente ainda fica sem família lá, muito sozinho. Mas eles me trataram como um filho, a equipe é espetacular", elogia. Integrante da enfermaria de COVID-19 do hospital, Matheus Dullius de Lima conhece bem a situação passada pelo português. "Tratar a parte psicológica tem sido importante para muitos pacientes, já que não podem ficar com acompanhante e necessitam de mais atenção", afirma o enfermeiro.

Além do apoio psicológico, o suporte material também é imprescindível. Nesse sentido, Matheus comemora a doação de monitores multiparâmetros, camas hospitalares, bem como milhares de aventais, luvas e máscaras de proteção, comprados pela Associação Beneficente Santa Casa de Campo Grande com recursos da campanha #TodoCuidadoConta. Criada pela Raia Drogasil, a iniciativa está destinando R$ 25 milhões para ajudar 50 hospitais do país a combater a pandemia de COVID-19.

"Todos os insumos e equipamentos adquiridos serão muito importantes. Eles vão promover uma assistência com baixas taxas de contaminação, melhores acomodações para os pacientes e uma monitorização contínua de seu estado de saúde. Mais vidas foram e serão salvas", diz Matheus.

Após o susto da COVID-19, José Antonio se lembra com carinho da equipe e acredita que as doações são uma forma de valorizar os trabalhadores da saúde. "Fico muito feliz de falar da campanha. O que estão fazendo é por profissionais que cuidaram de mim 24/7, que não me largavam nunca, e pelos quais só tenho muita gratidão".

"A gente fica sem família lá, muito sozinho. Mas eles me trataram como um filho, a equipe é espetacular"

SAIBA MAIS SOBRE ESSA DOAÇÃO

Santa Casa de Campo Grande

Campo Grande MS

Ver Hospital

Confira outras histórias

Hospital Evangélico Dr. e Sra. Goldsby King
Em falta no mercado, sedativos para pacientes intubados por COVID-19 são doados a hospital do MS

Com essa doação, a maior que recebemos na pandemia, o hospital pôde ofertar um tratamento digno à população.

Hospital Auxiliadora
Aparelhos doados ajudam hospital de Três Lagoas a recuperar 92% dos internados por COVID-19

Hoje, eu vejo o quanto a experiência foi e continua sofrida, mas é única. Passamos a fazer parte da história de cada um que esteve aqui, e eles deixam uma marca nas nossas vidas