Aparelhos doados durante pandemia de COVID-19 vão ajudar hospital de Santarém a tratar outras doenças no futuro

Compatilhe

A delegada Fabíola Martins Rabelo, 37, ficou internada uma semana e se recuperou plenamente

A delegada Fabíola Martins Rabelo, 37, ficou internada uma semana e se recuperou plenamente

Aparelhos doados durante pandemia de COVID-19 vão ajudar hospital de Santarém a tratar outras doenças no futuro

Compatilhe

A faixa etária tem grande influência no prognóstico do paciente de COVID-19, como a pandemia tem demonstrado. Na paraense Alenquer, às margens do rio Amazonas, a delegada de polícia Fabíola Martins Rabelo parece ter se beneficiado do vigor de seus 37 anos para vencer a doença, em abril de 2020. Mas mesmo ela, que não tem nenhuma comorbidade, precisou ficar internada por uma semana até se recuperar.

"Devo ter contraído o coronavírus no trabalho, porque atendo o público", conta. "Primeiro senti um calafrio e fortes dores no estômago. Depois, vieram o cansaço ao andar, as fortes dores nas costas e a falta de olfato e paladar." Diagnosticada com COVID-19 na pequena cidade, ela foi transferida para o Hospital e Maternidade Sagrada Família (São Camilo), em Santarém, onde seguiu o tratamento e fez exames complementares.

Clínico geral da urgência do Sagrada Família, o médico Alisson Espíndola Torres conta que o hospital sofreu os mesmos dramas de outros centros médicos quando a pandemia se instalou. "Houve um aumento significativo de pacientes com sintomas respiratórios, exigindo a contratação e realocação de funcionários. Também encontramos dificuldade na aquisição de equipamentos hospitalares e EPIs, e tivemos muito medo de adoecer e levar o vírus para casa. Para os tratamentos, sentíamos falta de uma UTI, pois quando o estado do paciente se agravava, tínhamos que transferi-lo para outros hospitais", diz.

Para ajudar o Hospital e Maternidade Sagrada Família (São Camilo), a Raia Drogasil incluiu a instituição na campanha #TodoCuidadoConta, que vem destinando R$ 25 milhões a 50 hospitais do país durante a pandemia. Com a doação, o Sagrada Família adquiriu monitores multiparâmetros, aspiradores cirúrgicos, um respirador, um cardioversor e cadeiras de rodas, entre outros equipamentos.

"O respirador será uma ajuda importante para os pacientes que necessitam ser intubados", explica Alisson, o clínico geral. "Já o desfibrilador é essencial em uma parada cardiorespiratória, e os monitores servirão para o acompanhamento dos sinais vitais. Todos os equipamentos serão de grande importância na luta contra a COVID-19 e também posteriormente, no atendimento de outras doenças."

Dura na queda, a delegada Fabíola baixa a guarda para falar das doações. "Usei diversas vezes cadeira de rodas para fazer os exames, e, assim como eu, várias outras pessoas se beneficiaram da doação", diz. "Quando você doa, você dá um pouco de amor ao próximo. E o amor ao próximo salva vidas."

"Quando você doa, você dá um pouco de amor ao próximo. E o amor ao próximo salva vidas."

SAIBA MAIS SOBRE ESSA DOAÇÃO

São Camilo - Hospital e Maternidade Sagrada Família

Santarém PA

Ver Hospital

Confira outras histórias

Instituto Francisco Perez - Hospital Divina Providência
Hospital estratégico do Pará dobra capacidade da UTI com doação direcionada ao combate da COVID-19

Ao saber da doação, nossa sensação foi de alívio e de esperança. Foi a maior ajuda que recebemos durante a COVID-19.