Hospital de Pernambuco supre carências da UTI com equipamentos doados para o combate à COVID-19

Compatilhe

A médica Jackeline Avellar diz que a carência de equipamentos ficou mais evidente na pandemia.

A médica Jackeline Avellar diz que a carência de equipamentos ficou mais evidente na pandemia.

Hospital de Pernambuco supre carências da UTI com equipamentos doados para o combate à COVID-19

Compatilhe

Motorista de micro-ônibus em Cabo de Santo Agostinho (PE), Manoel Quirino da Silva não mudou sua rotina por causa do coronavírus: não aderiu à máscara, continuou encontrando as pessoas normalmente e seguiu dirigindo seu ônibus. Despreocupado assim, contrair a COVID-19 parecia questão de tempo – como realmente foi.

Aos 56 anos, o motorista atribui parte da sua plena recuperação a hábitos saudáveis como não fumar, não beber, jogar bola e cuidar da balança. Não que os dias de COVID-19 tenham sido fáceis. "Depois de sentir dor de cabeça, febre e perder o paladar, fiquei isolado no pronto-socorro da região por oito dias, recebendo oxigênio, mas a falta de ar não passava e a saturação não aumentava", conta.

Na iminência de ser intubado, Manoel acabou transferido para o Hospital Santo Amaro, no Recife, que optou pela oxigenoterapia por catéter. Após 12 dias de UTI, ele melhorou e recebeu alta. Mas permanecer consciente na UTI de COVID-19 também cobrou um preço. "Vi muitas pessoas morrendo. Os médicos entravam em desespero quando os pacientes iam a óbito. Essa doença é terrível."

Médica intensivista do hospital, Jackeline Avellar reconhece que a pandemia trouxe grandes desafios para a equipe. "Tivemos que nos reestruturar por completo e, ao mesmo tempo, proteger os profissionais", afirma. "Enfrentamos problemas como o afastamento de funcionários e a escassez de medicamentos. A carência de equipamentos também ficou mais evidente, uma vez que os pacientes com COVID-19 demandam uma complexidade maior no tratamento."

Pelo menos em relação aos equipamentos, o Hospital Santo Amaro – que é filantrópico e parte integrante da Santa Casa de Misericórdia do Recife – conseguiu ter um respiro. Por meio da campanha #TodoCuidadoConta, a Raia Drogasil doou ventiladores, oxímetros e milhares de EPIs ao hospital para apoiá-lo no enfrentamento da COVID-19. A ação da RD vem beneficiando 50 instituições do país com a distribuição de R$ 25 milhões em equipamentos e suprimentos.

"Com os recursos doados, o hospital pôde impulsionar de forma decisiva os cuidados a seus pacientes de COVID-19 e proteger as equipes da contaminação. Foi uma doação muito expressiva, e vários desses itens continuarão a ser usados depois da pandemia", diz Jackeline. Recuperado, Manoel sabe a diferença que uma boa assistência pode fazer. "Fui otimamente atendido. Parecia que eu estava numa clínica particular, e não sendo atendido pelo SUS", afirma ele. "Essa doação é um exemplo: se todo mundo fizesse um pouquinho, o país seria uma maravilha."

"Foi uma doação muito expressiva, e vários desses itens continuarão a ser usados depois da pandemia."

SAIBA MAIS SOBRE ESSA DOAÇÃO

Santa Casa de Misericórdia do Recife

Recife PE

Ver Hospital

Confira outras histórias

Hospital Infantil Palmira Sales
Doação de aparelhos e EPIs dá proteção a profissionais de hospital de Garanhuns e reforça ala isolada de COVID-19

Agradeço muito à Raia Drogasil, porque está ajudando um hospital ao qual sou eternamente grata.