Doação de aparelhos e EPIs dá proteção a profissionais de hospital de Garanhuns e reforça ala isolada de COVID-19

Compatilhe

A dona de casa Lucicleide Ribeiro de Araújo, 44, se recuperou plenamente da COVID-19

A dona de casa Lucicleide Ribeiro de Araújo, 44, se recuperou plenamente da COVID-19

Doação de aparelhos e EPIs dá proteção a profissionais de hospital de Garanhuns e reforça ala isolada de COVID-19

Compatilhe

Moradora de Garanhuns, no agreste pernambucano, a dona de casa Lucicleide Ribeiro de Araújo, 44 anos, declama a lista de medicamentos que tomou para COVID-19: "Rocefin (antibiótico), azitromicina (antibiótico), dexametasona (corticoide), enoxaparina (anticoagulante) e dipirona (antitérmico)". A relação, que está na ponta da língua de muitos pacientes recuperados da doença, tem dado certo em diversos casos menos severos.

Para Lucicleide, por exemplo, funcionou: ela não precisou de cuidados intensivos no Hospital Palmira Sales, onde ficou internada, e em uma semana recebeu alta. Quatro meses depois da internação, em novembro, ela se sentia totalmente recuperada, apenas com as lembranças ruins do período de isolamento. "Batia um sentimento de rejeição por não ver o dia nem a noite e não poder ficar com a família", reclama.

Para que Lucicleide tivesse uma área de isolamento, o hospital precisou fazer uma reforma separando os casos moderados dos mais graves, bem como os doentes infectados por COVID-19 da maternidade – oficialmente, o nome da instituição é Hospital Infantil Palmira Sales. "Além disso, tivemos que disponibilizar equipamentos de proteção para todos os funcionários, assistir a palestras e cursos de utilização dos novos EPIs e, principalmente, aprender a forma de tratar esses pacientes", conta a fisioterapeuta Stéphanne Barbosa.

A fisioterapeuta Stéphanne Barbosa precisou assistir a cursos e palestras para aprender a usar os EPIs

Nada disso teria adiantado, porém, se o hospital não tivesse acesso aos equipamentos e materiais necessários, que se tornaram caros e escassos na pandemia. E uma ajuda providencial para isso veio da Raia Drogasil, que doou ao Hospital Infantil Palmira Sales centenas de EPIs, dezenas de camas hospitalares e alguns aparelhos de suporte à vida, como um ventilador e um respirador pulmonar. A ação é parte da campanha #TodoCuidadoConta, que está distribuindo R$ 25 milhões a 50 hospitais envolvidos no atendimento aos pacientes de COVID-19.

"Durante e mesmo após a pandemia, iremos utilizar os respiradores para salvar muitas vidas, e as camas hospitalares para dar conforto a esses pacientes", diz a fisioterapeuta Stéphanne. "Tivemos um sentimento de alegria e gratidão pelo gesto, afinal não é só com força que funcionamos, é preciso haver união", afirma ela.

Recuperada, Lucicleide ainda tem a lembrança fresca do dia em que saiu do hospital, e, por isso, exalta a doação. "É de suma importância, porque vai beneficiar outros pacientes e a instituição como um todo. Agradeço muito à Raia Drogasil, porque está ajudando um hospital ao qual sou eternamente grata."

"Agradeço muito à Raia Drogasil, porque está ajudando um hospital ao qual sou eternamente grata"

SAIBA MAIS SOBRE ESSA DOAÇÃO

Hospital Infantil Palmira Sales

Garanhuns PE

Ver Hospital

Confira outras histórias

Santa Casa de Misericórdia do Recife
Hospital de Pernambuco supre carências da UTI com equipamentos doados para o combate à COVID-19

Foi uma doação muito expressiva, e vários desses itens continuarão a ser usados depois da pandemia.