Doação a hospital de Vitória da Conquista evita escassez de equipamentos de proteção para profissionais da UTI de COVID-19.

Compatilhe

Doação a hospital de Vitória da Conquista evita escassez de equipamentos de proteção para profissionais da UTI de COVID-19.

Compatilhe

"Os médicos acharam que foi um milagre eu ter sobrevivido", diz o cabeleireiro baiano Edinaldo Paiva, de 50 anos, que ficou 26 dias com COVID-19 na UTI do Hospital São Vicente de Paulo, em Vitória da Conquista (BA). No seu caso, a doença afetou os rins. Em novembro, quatro meses após a alta hospitalar, ele ainda mantinha um cateter no pescoço para realizar três hemodiálises semanais.

E a insuficiência renal crônica não foi a única sequela. Ele também desenvolveu uma trombose na perna que, por enquanto, o impede de trabalhar. "Tive que passar pela psiquiatra, até hoje estou ruim da cabeça. Tenho três filhos, dois deles pequenos, e não consigo dar um doce, uma roupa pra eles", desabafa.

Sobre o hospital, Edinaldo só tem elogios. "Eles foram excelentes, cuidaram muito bem de mim", diz. Por trás dos sorrisos que ele recebeu, porém, se escondia um esforço sobre-humano. "Montamos um plano de contingência para nos adequar aos órgãos competentes, mudamos as regras das visitas, criamos rotinas de boletins para os familiares, abrimos ambientes para os casos suspeitos e confirmados e treinamos exaustivamente a equipe", conta a médica Carolina Oliveira Santos, diretora técnica do hospital.

No ápice da crise, o aumento das horas trabalhadas para cobrir os colegas afastados intensificou o desgaste físico da equipe, já agravado pelo uso contínuo de EPIs. Ruim com eles, impossível sem eles. "Havia uma perspectiva real de desabastecimento desses itens no mercado, o que elevou muito os preços e criou um temor de que não pudéssemos suprir nossa demanda", lembra Carolina.

Para cobrir as maiores necessidades da equipe, o Hospital São Vicente de Paulo, integrante do complexo da Santa Casa de Misericórdia de Vitória da Conquista, foi beneficiado com a doação de cardioversores, ventiladores, oxímetros, camas elétricas e dezenas de milhares de EPIs. A ação, promovida pela Raia Drogasil em sua campanha #TodoCuidadoConta, vem destinando R$ 25 milhões para o combate à COVID-19 em 50 hospitais.

"São itens de extrema importância para a proteção dos nossos colaboradores e para a condução de pacientes com grave acometimento pulmonar", afirma Carolina. "E como não são de uso exclusivo para o atendimento da COVID-19, continuarão sendo úteis após a pandemia." Para Edinaldo, a doação é muito importante e faz com que ele se lembre da felicidade que sentiu ao receber alta. "É uma grande ajuda para quem está precisando. Quando eu saí de lá, abracei todo mundo e chorei muito ao encontrar minha esposa e meus filhos. Foi a maior alegria da minha vida."

"É uma grande ajuda para quem está precisando. Quando eu saí do hospital, abracei todo mundo e chorei muito ao encontrar minha esposa e meus filhos. Foi a maior alegria da minha vida."

SAIBA MAIS SOBRE ESSA DOAÇÃO

Hospital São Vicente de Paulo

Vitória da Conquista BA

Ver Hospital

Confira outras histórias

Hospital Martagão Gesteira
Doação a maior hospital pediátrico do Nordeste melhora assistência a crianças com COVID-19.

Com o broncoscópio, por exemplo, pudemos dar alta a um paciente que estava na UTI há 30 dias.