Doação a maior hospital pediátrico do Nordeste melhora assistência a crianças com COVID-19.

Compatilhe

Doação a maior hospital pediátrico do Nordeste melhora assistência a crianças com COVID-19.

Compatilhe

A história de Miliza Vitória Cordeiro, de apenas 11 anos, tem sido de superação. Diagnosticada com leucemia, ela conseguiu, em julho de 2020, uma transferência hospitalar de Jacobina, no interior da Bahia, para a capital, Salvador. Ela não sabia, no entanto, que viajava infectada pelo coronavírus.

No quarto dia na capital, um quadro de febre e tosse evoluiu em 48 horas para uma insuficiência respiratória aguda, que chegou a comprometer 80% de seu pulmão. Intubada por oito dias, Miliza desenvolveu a Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica, uma grave patologia infantil associada à COVID-19.

"Era um caso bem delicado", relata a artesã Cristielle Mendes Cordeiro, de 34 anos, mãe de Miliza. "Ela passou por várias gasometrias, exames de sangue, tomografias e raios-X, e fez uso de opioides, sedativos, corticoides e antibióticos, sem interromper a quimioterapia, porque os leucócitos estavam muito alterados."

Internada no Hospital Martagão Gesteira, referência em procedimentos pediátricos de alta complexidade, Miliza contou com uma rara UTI infantil para COVID-19. "O que mais me chamou a atenção foi o profissionalismo e a empatia das pessoas", recorda Cristielle.

Enfermeira-líder da UTI de COVID-19 do hospital, Marcela Prado Ribeiro conta que um dos desafios da pandemia tem sido justamente cuidar dos acompanhantes das crianças. "O isolamento do paciente acarreta também o isolamento do adulto que o acompanha, que não pode ser substituído por outro familiar pelo risco de contaminação."

Ela diz que um dos seus maiores temores era não conseguir fazer as intervenções a tempo de salvar as crianças. "Tínhamos um número limitado de equipamentos para prestar a assistência adequada, e alguns aparelhos sequer possuíamos."

Mantido pela Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil, o Hospital Martagão Gesteira recorre à filantropia para suprir suas carências materiais. Em meio à pandemia, a instituição recebeu uma importante ajuda do programa #TodoCuidadoConta, que doou equipamentos como um eletrocardiógrafo, um broncoscópio e um cardioversor. A iniciativa, da Raia Drogasil, vem destinando R$ 25 milhões a 50 hospitais do país que atuam no combate à COVID-19.

"A inovação tecnológica trazida por essa doação representa uma renovação do cuidado", diz a enfermeira Marcela. "Com o broncoscópio, por exemplo, pudemos dar alta a um paciente que estava na UTI há 30 dias."

Com a filha ainda em recuperação das sequelas respiratórias, Cristielle revela gratidão pelo apoio dado ao hospital que salvou Miliza. "Eu vejo a doação da Raia Drogasil como um ato de amor, de solidariedade ao próximo. Doar é sentir a dor do outro."

"Com o broncoscópio, por exemplo, pudemos dar alta a um paciente que estava na UTI há 30 dias."

SAIBA MAIS SOBRE ESSA DOAÇÃO

Hospital Martagão Gesteira

Salvador BA

Ver Hospital

Confira outras histórias

Hospital São Vicente de Paulo
Doação a hospital de Vitória da Conquista evita escassez de equipamentos de proteção para profissionais da UTI de COVID-19.

É uma grande ajuda para quem está precisando. Quando eu saí do hospital, abracei todo mundo e chorei muito ao encontrar minha esposa e meus filhos. Foi a maior alegria da minha vida.