Doação a hospital de Brasília amplia atendimento por telemedicina e evita exposição de pacientes à COVID-19.

Compatilhe

A estudante Itaynan Pires, 29, elogia a teleconsulta, que a ajudou no tratamento de uma infecção.

A estudante Itaynan Pires, 29, elogia a teleconsulta, que a ajudou no tratamento de uma infecção.

Doação a hospital de Brasília amplia atendimento por telemedicina e evita exposição de pacientes à COVID-19.

Compatilhe

Durante a pandemia, a superlotação e o risco de contágio nos hospitais forçaram o adiamento de consultas e procedimentos eletivos, mas deram um saudável impulso à telemedicina.

Em setembro de 2020, a alagoana Itaynan Pires, de 29 anos, viveu o dilema de ir ou não ao hospital. Ela cursava o quinto ano de enfermagem na Universidade de Brasília (UnB), quando teve uma infecção na garganta com febre alta, dor no corpo, náuseas e perda de olfato e paladar. De origem indígena, da etnia Kariri-xocó, ela soube que o Hospital Universitário (HUB-UnB) fazia atendimento remoto para populações vulneráveis.

"Tinha medo de sair de casa e pegar COVID-19", conta Itaynan. "Foi muito legal ser atendida pelo telessaúde. Por uma videochamada no WhatsApp, recebi um atendimento completo, feito por uma enfermeira e uma médica. Para examinarem a garganta, mandei um vídeo em que a infecção estava bem visível."

Gestor de Telessaúde do HUB-UnB, Leonardo Lima Santos diz que a pandemia exigiu muito das consultas remotas. "Manter os serviços a distância, funcionando com equipe reduzida, e ainda lidar com o desconhecido diariamente foi uma pressão enorme", lembra.

Para auxiliar a equipe de Leonardo em sua missão, o Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB), que é administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), vinculada ao Ministério da Educação, ganhou uma relevante doação da Raia Drogasil, por meio da campanha #TodoCuidadoConta. Com os recursos, o hospital adquiriu um aparelho de ultrassom, um eletroencefalógrafo, VScans e equipamentos de teleconsulta como 100 webcams, 100 headsets e 50 caixas de áudio. A iniciativa da Raia Drogasil vem destinando R$ 25 milhões a 50 hospitais do país para o combate da COVID-19.

"Esses equipamentos possibilitaram realizar mais de 2.500 teleconsultas em seis meses e ampliar de 10 para 23 as especialidades atendidas", afirma Leonardo. "É uma doação que ajuda a fortalecer a cultura de atendimento a distância, alcançando famílias carentes que não têm condições de se deslocar e pacientes vulneráveis em tempos de COVID-19."

Itaynan não escapou de passar na emergência do hospital para colher o swab (que deu negativo para COVID-19), mas foi na teleconsulta que ela recebeu o tratamento certeiro contra a infecção. "A tecnologia facilitou o acesso ao atendimento, deu agilidade e proporcionou conforto e segurança", diz. "Todo investimento que é feito em prol da saúde é muito importante, principalmente quando beneficia quem não tem condições de arcar com a assistência particular."

"A tecnologia facilitou o acesso ao atendimento, deu agilidade e proporcionou conforto e segurança."

SAIBA MAIS SOBRE ESSA DOAÇÃO

Hospital Universitário de Brasília

Brasília DF

Ver Hospital